“Voluntária é ser solidária para com todos, estar sempre ao dispor de toda a gente, principalmente com os idosos, que no meu pensamento é dar lhe apoio, amor, carinho, fazer todo o bem que se possa, sem esperar nada em troca.
Porque Deus tudo recompensa.”


Preciosa Ferreira 

 

"Foi há já muitos anos que contactei pela 1ª vez com a Casa Santa Marta, mas a minha actividade profissional impedia-me de fazer voluntariado com a assiduidade que eu gostaria; a partir de 2005 a minha aposentação proporcionou-me muito tempo disponível algum do qual resolvi empregar junto das “velhinhas” desta casa. O que faço? Quase sempre leio as leituras da liturgia diária, fazemos alguns comentários a propósito, rezamos, contamos histórias e conversamos sobre as nossas vidas. Às vezes cantamos e já houve tempos que juntas ensaiavam as canções com que animávamos algumas festas na Casa.

Foi ainda no âmbito deste voluntariado que há anos, a pedido da senhora madre Socorro me comprometi a ensinar Português a duas jovens freiras que mostraram muito desejo de aprender para melhor perceberem os utentes. Venho quase todos os dias a esta casa e saio todos os dias um pouco mais rica pois o ensinamento que colho supera em grande o tempo que disponibilizo."

 Laura da Conceição Macedo Estrela Bastos

 

Saber envelhecer

“Enquanto estiveres vivo,
Sente-se viver, e se tens
Saudades do que fazias,
Volta a fazê-lo!
Se os anos já não te
Deixam correr, caminha
Mais devagar!
Mas nunca te detenhas,
Nunca pares de avançar.”



“Amigos são aquelas pessoas
Raras que nos perguntam
Como estamos e depois
Ficam à espera da resposta.”


Cristina Rosinha

 

 

“Sou uma jovem de 23 anos, tenho uma Licenciatura e actualmente encontro-me com o estatuto de trabalhadora-estudante, porque ando a tirar o Mestrado em Educação Pré-Escolar.
Decidi fazer voluntariado porque gosto e sempre gostei de ajudar o próximo. Uma vez que estou na última parte do Mestrado e o meu horário laboral é apenas de tarde, achei que a melhor forma para preencher as minhas manhãs seria dedicar-me ao voluntariado.
O voluntariado é uma acção que não custa apenas saber dar um pouco de nós aos outros. Por isso, para ser voluntário, basta estar disposto(a) a dar: um pouco de atenção, de carinho, de caridade e acima de tudo saber escutar, aqueles que mais precisarem.
No meu ponto de vista, com o voluntariado enriquecemos enquanto pessoas, porque aprendemos a dar valor a “pequenas coisas”, que nosso dia-a-dia nos passam despercebidas.
O Ser Humano é feito de sentimentos, mas se não os tiver para dar, também não terá para receber.”

Carina Ribeiro